Salto Duplo
Inventado nos anos 80 com o objetivo de levar pessoas sem experiência no esporte para uma aventura nova e fascinante. Hoje em dia, é a forma mais simples de experimentar a sensação da queda livre. Tudo o que o passageiro tem a fazer é auxiliar o instrutor durante todo o salto com a correta posição do corpo; tudo isso é treinado em solo logo antes do salto.

Desde a decolagem até o momento da saída do avião, a 12.000 pés (3.700m), são 20 minutos num vôo divertido e tranqüilo. Depois da saída do avião o passageiro experimenta a melhor sensação de sua vida. A queda livre não é algo que se possa descrever em palavras; não há o "frio na barriga", não há medo, não há a impressão de que se está caindo. Talvez uma sensação de que se está suspenso, levitando, num ambiente diferente, novo e completamente agradável a nossa volta. São 45 segundos no relógio, mas eternos em nossa mente. É mais calmo e mais intenso do que se espera. De repente o pára-quedas se abre e aí também descobrimos essa nova sensação, o porquê os pássaros cantam. Esse vôo pode ser extremamente relaxante, depois da queda livre "adrenalizante", ou se o passageiro assim quiser, também pode ser igualmente radical. Curvas acentuadas, "carrosséis", até mesmo o passageiro manobrar o pára-quedas, sob a orientação do instrutor. São de 5 a 7 minutos de passeio. O pouso é suave e preciso.

CURSO ACCELERATED FREE FALL - AFF

O Curso Accelerated Free Fall – AFF, é o mais moderno e rápido sistema de ensino. Consiste num aprendizado progressivo dividido em 8(oito) níveis. Cada nível com uma série de objetivos a serem alcançados.

Após a aula teórica o aluno estará pronto para começar a saltar. Nos 3(três) primeiros saltos, o aluno será acompanhado por 2(dois) instrutores que têm a função de mantê-lo estável durante a queda livre. Os saltos são realizados de uma altura de 10.000 ou 12.000pés, com tempo de queda livre de aproximadamente 50(cinqüenta) segundos. Os instrutores o acompanharão durante toda a queda livre, até o momento da abertura do pára-quedas. Após a realização dos saltos livres e sendo aprovado de acordo com a progressão do curso, o aluno em instrução – AI receberá a licença de pára-quedista, perante a Confederação Brasileira de Pára-quedismo com a categoria “A”. Durante a fase de instrução o aluno saltará com o equipamento denominado “Student”. Este equipamento possui, obrigatoriamente, todos os dispositivos de segurança para saltos de instrução. Além disso, este equipamento proporciona uma navegação lenta e segura. Após a abertura do pára-quedas o aluno será auxiliado na sua navegação através de contato com rádio-transmissor, feito por um instrutor a partir do solo.
         
Para ingressar no esporte por meio de tal metodologia, o aluno deverá observar os seguintes pré-requisitos:
- Ter no mínimo 15(quinze) anos de idade, lembrando que nestes casos será necessária a autorização expressa dos pais ou responsáveis, com o devido reconhecimento de firma.
- Apresentar atestado médico informando aptidão para prática de pára-quedismo.
         
O programa AFF apesar de exigir um investimento maior em relação ao curso ASL, mas traz a vantagem de poder ser realizado durante um final de semana de acordo com o aproveitamento do aluno. Este método permite que o aluno progrida rapidamente no esporte, alcançando com poucos saltos um nível técnico muito elevado.
Objetivos
Os objetivos do aluno durante o curso são os seguintes:
- Realizar queda livre com domínio dos eixos vertical e horizontal;
- Acumular um mínimo de 5 (cinco) minutos de queda livre;
- Realizar seu próprio lançamento e pousar, no mínimo, a 50(cinqüenta) metros do ponto previsto para a aterragem, em 3(três) saltos;
- Demonstrar habilidade para dobrar seu próprio pára-quedas principal;
- Saber realizar as inspeções obrigatórias dos equipamentos antes do embarque.
- Ter o mínimo de 80% de acertos no teste escrito.

CURSO ACCELERATED STATIC LINE - ASL

O Curso Accelerated Static Line – ASL, é o sistema de ensino mais tradicional e comum em todo o mundo. São 16(dezesseis) saltos proporcionando um aprendizado progressivo. Nos primeiros 6(seis) saltos o aluno, considerado aluno em instrução-AI, saltará com equipamento preparado para saltos semi-automáticos. Neste salto, a abertura do pára-quedas principal será realizada por uma “fita” onde uma das extremidades estará presa à bolsa do pára-quedas e a outra na aeronave. Estes são chamados também de “saltos enganchados”. Aprovado nesta fase inicial, o aluno começará a realizar saltos em queda livre seqüencialmente de alturas maiores, até chegar a altura de lançamento de 10.000 pés. Aproximadamente 40(quarenta) segundos em queda livre.
Após a realização dos saltos livres e sendo aprovado de acordo com a progressão do curso, o aluno em instrução – AI receberá a licença de pára-quedista, perante a Confederação Brasileira de Pára-quedismo com a categoria “A”.Durante a fase de instrução o aluno saltará com o equipamento denominado “Student”. Este equipamento possui, obrigatoriamente, todos os dispositivos de segurança para saltos de instrução. Além disso, este equipamento proporciona uma navegação lenta e segura. Após a abertura do pára-quedas o aluno será auxiliado na sua navegação através de contato com rádio-transmissor, feito por um instrutor a partir do solo.
         
Para ingressar no esporte por meio de tal metodologia, o aluno deverá observar os seguintes pré-requisitos:
- Ter no mínimo 15(quinze) anos de idade, lembrando que nestes casos será necessária a autorização expressa dos pais ou responsáveis, com o devido reconhecimento de firma.
- Apresentar atestado médico informando aptidão para prática de pára-quedismo.
O programa ASL traz a vantagem de exigir um investimento inicialmente menor, em relação ao curso AFF. Neste curso o aluno realiza mais saltos, sendo a progressão em direção à queda livre mais lenta.

Objetivos
Os objetivos do aluno durante o curso são os seguintes:
- Realizar queda livre com domínio dos eixos vertical e horizontal.
- Acumular um mínimo de 5(cinco) minutos de queda livre.
- Realizar seu próprio lançamento e pousar no mínimo a 50(cinqüenta) metros do ponto previsto para a aterragem em 3(três) saltos.
- Demonstrar habilidade para dobrar seu próprio pára-quedas principal
- Saber realizar as inspeções obrigatórias dos equipamentos antes do embarque.
- Ter no mínimo 80%(oitenta por cento) de acertos no teste escrito.

Foto01: Azul do Vento
Foto02: www.skullparaquedismo.com.br
Foto03: www.skullparaquedismo.com.br